A última parte da nossa última etapa desenrolou-se em consecutivos sobe e desces, em terreno com relacionamento sério com mulheres bastante pedra e ultrapassando diversas linhas de água até que atingimos o Alto da Cheda, onde nos foi possível avistar o mar pela primeira vez nesta nossa travessia.
Ao km68 parámos na localidade de Redecilla del Camino, num posto de turismo, para colocar mais um selo e reunir informação.
No final do dia contabilizámos um gasto de 46/pessoa.
A paragem seguinte foi na localidade de Tosantos, homónima de um nosso companheiro do pedal.Nas imediações de Nájera, entre uma saída e retorno à AE12, foi a procuro mulheres liberais em lima minha vez de furar o pneu traseiro.Foi com muitas ganas que começámos desde logo a subir, com uma inclinação bastante acentuada que se manteria até ao km21.Quem for com tempo e se passar no horário de funcionamento, poderá aproveitar para visitar as instalações da adega, o que não foi o nosso caso.Três quartos de hora depois estávamos de novo a pedalar e a vontade era menos que nenhuma, pois os músculos estavam saturados e o tempo estava muito fresco, mas tínhamos de cumprir com o nosso objetivo.No hall de entrada é possível guardar haveres e bikes, o que fizemos.Após a paragem demorada, voltámos a fazer-nos ao caminho, onde eu fiz de âncora, pois as dores nos tendões eram quase impossíveis de suportar, fazendo-me arrastar a um ritmo baixo sempre a reboque do grupo e que não me permitiu desfrutar dos lentes de contato urgentes trilhos como.Estávamos com 83km percorridos.Após breve discussão optámos por escolher o mais difícil, pois seria o que nos levaria a uma maior altitude e nos permitiria ver e conhecer as deslumbrantes paisagens dos Pirenéus.




A sorte viria a sorrir-nos no albergue Izar, onde a senhora responsável nos avisou que só iríamos encontrar vagas a 30km dali, provocando-nos um semblante carregado e triste sob as molhadas e enlameadas vestes.Continuámos a descer até chegarmos à majestosa cidade de Ponferrada, local de referência para muitos bicigrinos portugueses, alguns que aqui começam a sua travessia, para outros local de pernoita.Se a tua paixão pelas histórias de amor vai mais além e superam a distância entre a vida e a morte, visita Teruel e empapa-te das suas lendas.Conforme planeado, atingimos o final desta primeira etapa em Pamplona, pouco depois das 17h00, onde reencontrámos o Rafa já junto do albergue que havia reservado para ele e para nós.Fôjo-Zybex BTT Team desde Abrantes até Saint-Jean-Pied-de-Port numa distância de 878km, quase sempre por autoestrada e onde à data gastámos, em conjunto, um pouco mais de 100.Após tudo arrumado, fizemos um passeio pela cidade e jantámos numa esplanada de um dos muitos restaurantes localizados na zona velha onde partilhámos companhia com os recentes amigos espanhóis Isi e Alfredo.Os espanhóis souberam muito bem aproveitar esta rota religiosa e montar uma verdadeira rede turística em redor dela, dando emprego a muita gente, que gira em torno de centenas de milhares de peregrinos que anualmente cruzam estes caminhos.
Mais uma passagem inesquecível.

Rolava-se bem e estávamos a recuperar o tempo perdido durante a complicada manhã.
Comemos de tudo um pouco e abusámos das quantidades.
Fui repentinamente abalado por uma tristeza e saudade profundas, ao dar por mim a pensar o que estava eu ali a fazer no meio de Espanha e num domingo, tendo deixado a minha família tão longe.


[L_RANDNUM-10-999]