Links Matos,., Machado,., Gonçalves,.
Os rapazes tendem a relatar mais florença namoro sexo frequentemente vitimação física (66.3 perpetração emocional (58.3) e as mulheres querem homens ricos perpetração sexual (74.1 comparativamente com as raparigas.O último inquérito sobre sexualidade, publicado este ano pela Bizâncio (.No que concerne, contudo, especificamente à violência sexual, os dados do nosso estudo são congruentes com a investigação empírica internacional (e.g., OSullivan, Byers, Finkelman, 1998) e nacional (Martins Machado, no prelo; Paiva Figueiredo, 2005 que atribui maior perpetração sexual aos rapazes.E tem relações duradouras - quatro em cada dez estão casados há, pelo menos, 31 anos.E-mail: Este texto foi elaborado no âmbito do Projecto Violência nas Relações Juvenis de Intimidade (ptdc/PSI/65852/2006 financiado pela FCT e coordenado por Carla Machado).Com os divórcios a aumentar e o número de casamentos a cair a pique nos últimos anos, podia pensar-se que os portugueses perderam o romantismo.Colección Psicología y Ley,.Associação entre a perpetração e a vitimação das várias formas de violência Quando associada a perpetração global com a vitimação global, encontra-se uma forte associação entre ambas as variáveis 2 (1)1.635;.001, verificando-se que.9 dos sujeitos da amostra referiu ter experienciado ambas as situações.Por outro lado, nem sempre alguns conceitos workopolis reuniões jesi utilizados nestes estudos para descrever o contexto relacional em causa têm correspondência directa com conceitos e vivências da população portuguesa.A perpetração de ambas as formas de violência era reconhecida por.6 dos participantes e a comissão de agressões físicas severas era admitida por.3.Nas suas respostas a um inventário de violência (IVC-4, Antunes Machado, 2007.2 dos participantes admitem ter perpetrado pelo menos um acto abusivo contra um parceiro(a) ocasional ao longo das suas vidas (30.1 de natureza física).3 reconhecem ter sido alvo de violência por.Uma percentagem que só é maior entre os viúvos (94 por cento).Daí, eventualmente, o seu menor impacto em termos de violência.A tabela demonstra que os actos mais frequentes são insultar, difamar e humilhar (17.9 dar uma bofetada (15.8 perseguir a outra pessoa (12.7 puxar os cabelos com força (10.2 atirar com objectos (9.7) e gritar ou ameaçar para meter medo (8.4).A CFS publicou o comunicado com o argumento de querer diminuir o medo das pessoas com ou sem Aids e possibilitar, tanto quanto possível, "uma vida sexual normal" para os cerca de 17 mil portadores de HIV que vivem na Suíça.
Do nosso ponto de vista, os resultados encontrados neste estudo exploratório sugerem que este fenómeno deve continuar a ser estudado, em duas vertentes: por um lado, surge a necessidade de avaliar a prevalência da violência nas relações ocasionais através de estudos representativos alargados ao contexto.




Journal of Adolescent Health, 30, 375-383.Tabela 2 Prevalência dos vários tipos de violência nas relações ocasionais Violência n Frequência Perpetração Global Física.2.1 Emocional.4 Sexual.4 Vitimação Global Física.3.4 Emocional.1 Sexual.5 Prevalência da perpetração de violência A violência física no contexto de uma relação ocasional foi relatada por.1 dos.Violence is more common among younger subjects, those that attend to lower educational levels and students from secondary schools.A satisfação com a forma como lá em casa se partilham as tarefas é a regra - sendo certo que os homens estão mais satisfeitos do que as mulheres (92 por cento contra 78,6 por cento o que não surpreende ninguém.É um clássico: "Em inquéritos deste tipo, as pessoas tendem sempre a dizer: "Isto agora é uma desgraça, há mais infidelidade, as famílias funcionam pior apesar de, ao mesmo tempo, revelarem algum modernismo (aceitam as uniões de facto, as relações sexuais antes do casamento).".Ano escolar Quando comparamos perpetradores com não perpetradores, verificamos que os perpetradores tendem a frequentar anos escolares inferiores ( Z -5.580;.001 o mesmo sucedendo ao nível da vitimação ( Z -4.216;.001).No que concerne à violência sexual,.4 dos estudantes indicaram ter violentado sexualmente um seu parceiro ocasional.O mesmo sucede em termos da vitimação (.870;.s.Prevalence of violence against dating partners by male and female university students worldwide.
Os participantes da amostra admitiram já se ter envolvido entre 1 a 9 relações afectivas ocasionais, apresentando uma média.9 relações por sujeito.


[L_RANDNUM-10-999]